Fundação Gulbenkian: Jazz em Agosto 2011


O Jazz em Agosto continua a apresentar, em 2011, o outro lado do jazz com formações e músicos incontornáveis, numa programação que demonstra a capacidade de mudança e inovação do jazz contemporâneo.

A 28ª edição do Festival desenrola-se de 5 a 14 de Agosto com seis concertos principais no Anfiteatro ao Ar Livre da Fundação Calouste Gulbenkian, o seu espaço anfitrião.

A abrir esta edição do Jazz em Agosto uma das figuras emblemáticas dos últimos 50 anos de história do jazz, par de Ornette Coleman e John Coltrane: o pianista Cecil Taylor (imagem a seguir) que, numa aparição rara a solo, apresenta o lado intimista e multidimensional da sua obra.

Revisitando a história do jazz numa leitura que realça os antagonismos do género com uma lógica inquestionável, Ingrid Laubrock, saxofonista alemã com carreira ascensional em Londres e Nova Iorque, traz ao Jazz em Agosto o Quinteto Anti-House, constituído por músicos que se destacam individualmente e que interagem com extraordinária eficácia.

O trompetista Wadada Leo Smith, um dos fundadores da AACM (Association for the Advancement of Creative Musicians, Chicago), apresenta o Noneto Organic, citando o início do período eléctrico de Miles Davis, quando se comemoram os 40 anos do seu álbum seminal Bitches Brew, num concerto que será enriquecido pelas imagens em tempo real do VJ Jesse Gilbert.

Peter Brötzmann, saxofonista e clarinetista considerado como farol da improvisação europeia e que celebra 70 anos em 2011, sobe ao palco com o Quarteto Hairy Bones, um novo projecto com raízes no Quarteto Die Like a Dog (presente no jazz em Agosto 2000), que conta com uma nova secção rítmica, explorando e renovando o espírito libertário do freejazz.

Uma recente e inesperada formação sobe ao palco do Anfiteatro ao Ar Livre para apresentar mais um concerto raro: The Ex-Guitars meet Paal Nillsen-Love/Vandermark Duo e que cozinham uma mistura de rock radical e improvisação jazz, com referências John Coltrane, Sonny Rollins e Albert Ayler, numa conjugação intensa e contemporânea de universos tão próximos como antagónicos.

John Hollenbeck, baterista, compositor, arranjador, à cabeça da sua orquestra, herdeiro estético da Third Stream, encerra o Jazz em Agosto 2011 numa Première europeia do seu Large Ensemble, uma orquestra de 18 músicos de excepção que redefine o tradicionalismo da big band, esbatendo fronteiras com criatividade.

Para além dos concertos no Anfiteatro ao ar Livre, este ano o Jazz em Agosto estende a sua programação, ao longo da semana, a um espaço recente na cidade, o Teatro do Bairro (Bairro Alto). Retomando o espírito do clube de jazz, num ambiente mais informal, serão apresentados neste teatro concertos arrojados e experimentais de pequenas formações de jazz.

Share
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>